Blog

Divisórias vazadas: ambientes divididos com criatividade e beleza

19/04/2017

Já não é de hoje que os projetos arquitetônicos têm valorizado espaços amplos, com poucas paredes e ambientes integrados. Por esse motivo, a divisória tornou-se item cobiçado na decoração e tem a função de separar os espaços, sem afetar a luminosidade, circulação de ar e, tampouco, causar perda de amplitude no ambiente.

Os modelos e materiais são arrojados e variam em inúmeras possibilidades. Algumas composições são verdadeiras obras de arte, outros são simples mas dão um toque todo especial ao local onde estão instalados.

Uma das mais procuradas é justamente a divisória vazada. Com ela, cria- se uma definição para os ambientes, mas é possível ter uma visão conjunta de cada espaço. Está em alta, neste caso, o uso do cogobó – blocos de cerâmica muito usados nos anos 1970, com geometria e revestimento variados, cujos padrões rendem inusitadas composições. Tende a ser mais econômico.

Outros materiais podem ser utilizados na composição da divisórias. Entre os principais estão: MDF, gesso/drywall, vidro, madeira e plástico. Conforme as inspirações do proprietário e do arquiteto, as divisórias ganham formatos e acabamentos estéticos que fazem daquele espaço praticamente um quadro vivo, variando desde o clássico ao contemporâneo – com formas geométricas ou traçados abstratos. Além disso, podem ser multifuncionais e ter um papel de estante ou rack para TV, por exemplo.

Numa época que prioriza a economia criativa e a sustentabilidade, utilizar materiais alternativos também é uma boa pedida e dá um toque especial ao espaço. Caixotes plásticos, de legumes e hortaliças, por exemplo, podem render uma decoração despojada, dividir o ambiente e, ainda, funcionar como prateleiras. Outra ideia é utilizar pallets de madeira ou placas de vidro que podem ser suspensas por cabos presos ao teto. Cortinas também funcionam como interessantes divisórias. Como há uma infinidade de tecidos, a grande vantagem é que, quando cansar, basta trocar o item.

Vale lembrar que as cores e materiais da divisória precisam estar em harmonia com o ambiente, combinando, por exemplo, com pisos e paredes. Por isso, pesquisar bastante é um investimento que pode deixar sua casa ou escritório ainda mais bonitos.

 

 

 

Fonte: Jornal SP Norte

 

Infraestrutura completa
Entre em Contato